2 de outubro de 2009

Jovem perde subsídio de desemprego por recusar ser prostituta


Na Alemanha, onde prostituição foi legalizada em 2002, Clare Chapman, 25 anos, formada em tecnologias de informação, pode ficar sem subsídio de desemprego depois de ter recusado um emprego, que requeria prestação de “serviços sexuais” num bordel de Berlim.
O caso tornou-se público através da edição online do jornal Daily Telegraph,que explicou que com a legalização da prostituição, os donos dos bordeis – que são obrigados a pagar os descontos e o seguro de saúde dos seus empregados – têm acesso às bases de dados oficiais das pessoas que andam à procura trabalho.
Segundo a publicação britânica, Clare Chapman recebeu uma carta do centro emprego a informar que havia um empregador com interesse no seu currículo, onde referenciava que já tinha trabalhado num café e disponibilidade para trabalhar à noite.A jovem alemã vem a descobrir que é para trabalhar num bordel.
«Não há nada, agora, na lei que evite que as mulheres sejam enviadas para a indústria do sexo», afirmou Merchthild Garweg, um advogado de Hamburgo. O especialista explica ao Daily Telegraph que «os novos regulamentos afirmam que trabalhar na indústria do sexo já não é imoral, e, portanto, esses empregos não podem ser recusados sem que se perca o subsídio de desemprego».
Quanto tempo irá demorar Portugal a legalizar a prostituição???

9 comentários:

Anne disse...

vê lá. isso é ridiculo. eu armava um 31 do caraças? mas que merda é essa? ou vou dar o corpo como se fosse um emprego ou perco o subsidio de desempregO???? bolas!

Aquae Flaviae disse...

Ui, como isto anda... que grande exploração...
Dentro de pouco tempo temos essa lei aprovada em Portugal!

=Ridiculo=

Just Me...S disse...

Que absurdo!!!!!!! Isto é mesmo verdade??? Parece tirado de um filme de segunda. Que aberração. Não tenho nada contra quem se dedica à prostituição, cada um sabe de si, mas não nos obriguem a sê-lo.

Doce beijo

Bloguótico disse...

De tão surreal, até parece mentira!!

Marco.Galo disse...

Por um lado não acho anormal que proponham o emprego, já que é legal. Mas creio que este tipo de emprego deveria ser um caso "especial" em comparação com os outros. Não faz sentido perder-se o subsídio ao recusar, mas melhor seria que os desempregados pudessem escolher se estão interessados nesse ramo e então seria apenas proposto a essas pessoas.

Pipoca disse...

Espero sinceramente que não legalizem em Portugal.Caso contrário, será uma boa manobra para o estado não ter que pagar subsidios de desemprego : Ou aceitas, ou perdes o subsidio !

Como não sabemos o dia de amanhã, só peço que Deus nos guarde de tamanha aberração.Puta?Não muito obrigado!

ricardo disse...

Tenho a certeza q cá havia mts q nao se importavão loll, mas tenho q concordar q é mt estupido , o socrates ainda nao deve ter visto isto, preparem-se lolll

edmundo disse...

Não trabalha porque não quer LOL
Que estupidez ainda falamos deste cantinho a beira mar plantado

Anónimo disse...

Eu acho que se fizessem o mesmo cá, COM ÓBVIAS EXCEPÇÕES, talvez o país saísse da depressão financeira que está.

Acabar com esta "profissão", a história já provou ser impossível...