21 de outubro de 2009

Responsabilidade Vs Dividas


Eu considero-me uma pessoa responsável.
Tenho as minhas despesas controladas, gosto de ter as minhas coisas e detesto prestações (chega a da casa), vou comprando como posso.
A última avaria que fiz, foi quando mudei o meu penteado (não estava a espera de largar tanto xiçaaaa), cortei, fiz franja, fiz madeixas, ou seja mudança radical.
Mas de resto sou controlada e o "R" também, não nos privamos de saídas e jantaradas, não somos de guardar o dinheiro no colchão, mas tb não gastamos só por gastar.
Agora com a casinha nova, as compras andam a ser feitas, ainda na segunda adquirimos uma mesa para a sala e 6 cadeiras, hi hi hi que vontade de ver tudo no cantinho novo.
Faz-me confusão como é que algumas famílias vivem acima das suas possibilidades, ter coisas só para mostrar que se tem, sem na realidade se ter condições para tal, não me entra na cabeça.
Pessoas que têm créditos para tudo, aspiradores, móveis, livros escolares, cortinados, conjuntos de panelas, televisões, colchões, e depois ainda têm o Visa completamente lotado.
Não entendo juro que não entendo, se for preciso o filho precisa de uns ténis, mas não compram porque compraram um carro topo de gama e precisam de o alimentar.
Deixam de pagar o colégio, mas não de jantar fora e de comprar futilidades.
Acho que antes de se sair de casa dos papás as pessoas deviam fazer uma lista de prioridades e ver se realmente estão preparados, pois muita coisa muda.

13 comentários:

Nocas disse...

Se muda... eu se tivesse a verdadeira noção da realidade, ainda vivia em casa da mamã :p loool!!!
Estou a brincar, claro que não vivia. Mas confesso que teria feito muita coisa, de forma diferente antes de sair de casa. Como por exemplo juntar o máximo de € possível para ter depois uma vida + estável!
Qd se está em casa dos papás não se tem muito a noção, embora eu vivesse praticamente com o meu ordenado, como por exemplo os transportes, roupas, jantaradas, saídas, alimentação. Mas isso não chega. Falta a outra parte da verdade, prestação da casa, compras do mês, prestação do carro (felizmente, até agora ñ tenho..), condominio, farmácia, etc etc. Agora gostava de poder fazer as mesmas coisas com mais frequência, mas nem sempre é possível. Optei por fazer jantares em casa com os amigos, penso 2x antes de adquirir 1 peça de roupa ou calçado.. ou deixo para o prox mês. [se me vires sp c/a mm roupa/sapatos já sabes ;)] Ahhh, e ainda não mencionei o facto de estar prestes a ser mamã.. agora adquirir td para a Bolinha de Sabão é a prioridade. Eu e o papá estamos em 3º plano, sim pq a Emma consegue estar em 2º. Aiiii vida vida.. pq não nasci com o .. virado para a lua??!!
Vou parar de me lamentar :p e finalizar com a seguinte frase: Sou feliz com o pouco que tenho.

Nocas disse...

Esqueci de mencionar, que a única extravagância que eu faço é ir a Milão ver os U2 e agora Sevilha e quem sabe Coimbra.. coisa pouca!!!
o F até se passa. Mas este é o meu único vicío. Enquanto ele fuma, e todos os meses quer comprar um jogo para a PS3 eu faço questão de acompanhar ao máximo os concertos dos U2. Nunca se sabe, qual vai ser o último. :D louca? Talvez!!! Mas é uma loucura saudavel!

Petra Pink disse...

não gosto de gastar de mais!
mas tambem sou da opinião que o dinheiro não vai com a gente pa cova!

carla alves disse...

Pois, eu tbm sou da opinião q não fica cá nada qdo formos para a cova lol
Logo, dinheiro ganho, dinheiro gasto em coisas q nos fazem felizes e nos dêem qualidade de vida.

É natural que para quem ganha salários medianos e não tem ajudas de familiares (falo nos pais, por exemplo) mta coisa tem d ser comprada a prestações, pelo menos qdo se está a mobiliar uma casa.

Falo por mim, lógico, q já comprei mta coisa a prestações. Desde sofás a móveis. Senão se calhar ainda hj estava a comer e a sentar-me no chão :D

Agora, não nos podemos é meter em 20 prestações ao mesmo tempo lol e é o q mtas vezes acontece, daí o endividamento dp ;)

Parabéns pela casinha nova :D
Espero dp pelo convite da inauguração ehehehe

Susaninha disse...

Engraçado eu sou exactamente assim:):)
Adorei este desvaneios e tretas:)
SUUUUUUUUrrisinhos:)

Marco.Galo disse...

Em relação a finanças eu vivo numa montanha russa.
Comprei casa aqui há uns anos e a minha mãe vive comigo (o meu pai já faleceu). Em vez de estar a pagar renda a um senhorio, prefiro pagar algo que é.. do banco.. mas é como se fosse meu, lol.

O mal é que eu não estudei até onde queria, e o ordenado não é nada de especial. A minha mãe nunca conseguiu ter um emprego estável, e ora tem emprego, ora não. Quando tem, conseguimos ter um mínimo de estabilidade. Quando não tem, as coisas apertam.. e nestas alturas é-se obrigado a recorrer aos VISAS (que o banco me obrigou a ter quando comprei a casa) para poder comer o mês todo. Pronto, até acabaram por dar jeito.

Passados uns anos desta vida, os VISAS atingem o limite e entra-se numa bola de neve. Paga-se a prestação deles no inicio do mês, mas lá pra dia 15 ou 20 tem de levantar o que ficou disponivel no plafond.. e voltam outra vez ao limite. Entretanto o banco repara que estamos sempre no limite e decide cancelar os cartões até os termos todos pagos. É como se passasse a ser mais uma 'despesa'. Conclusão: parte da renda em atraso todos os meses = a cartas e telefonemas do banco a reclamar.

Os bancos são só sorrisos quando estamos a pedir crédito e uma simpatia quando assinamos os contratos dos VISAS. Mas nem avisam quando os cortam, fica difícil falar com eles para um esclarecimento.. e eu nem tinha nada em atraso nas mensalidades dos cartões. Mas pronto, o dinheiro é deles né...

Normalmente vivo 'no fio da navalha', e para ter algum miminho.. só mesmo quando vêm os subsídios, IRS e quando faço alguns trabalhos por fora, como ir fazer inquéritos pra rua ou distribuir publicidade pelos prédios (e é quando esses trabalhos não são para por as contas em dia). Às vezes custa, mas desde que seja de forma honesta, não me envergonho de nada do que faço.

Bem, desculpem lá o desabafo em forma de testamento.
Isto só para dizer que mesmo sem esbanjar, há alturas da vida que não são nada fáceis. Mas dias melhores virão.. estou a fazer por isso.

Nos dias em que estou com a moral mais em baixo, lembro-me de quem tem zero, que não come dias e dias seguidos e tem os abutres o dia todo lá em cima a andar à roda à espera de qualquer coisa. Ao pé desses sou um multi-milionário. E vou tendo a minha casa, o meu carro, a minha família, os meus amigos, o meu trabalho e vivo num país que é um paraíso.. sem tornados, sem tremores de terra, sem tsunamis, sem bombas e com um clima maravilhoso. Não me posso queixar muito.

É preciso é não vergar e não desistir. É como se tudo fosse um teste de resistência.. e aquilo que não nos mata, torna-nos mais fortes! :o)

Mais uma vez, desculpem o testamento. Já não é o 1º e a Sara qualquer dia bane-me do blog! Hehe! Só queria mostrar a minha visão sobre este assunto

Para concluir: Concordo com tudo o que a Sara disse. Foi mais um excelente devaneio.. pra eu divagar um bocadinho :o)

Sara disse...

Gall não tens de pedir desculpa, eu gosto que escrevam aqui no meu cantinho.
O que tu dizes que te acontece com o Visa não é o que eu digo aqui, uma coisa +e recorrer a visas para bens de primeira necessidade, outra bem diferente é as pessoas se endividarem por coisas superfulas e que nao fazem falta, apenas para ostentarem aquilo que na realidade não têm capacidade para ter.

beijokinhas

ricardo disse...

Mt coisa muda é uma grande verdade mas aprendemos mais rápidamente a ser ainda mais responsaveis, a ter cabeça e consciencia onde gastamos os € , claro q gosto de ir as compras comprar a minha roupa especialmente a uma loja q gosto mt mas cara, como é obvio com menos frequencia pois agora sinta mais na pele a importancia do dinheiro, e falta q ele faz em outras coisas, gosto de ter as coisas com peso e medida , axo q aprendi isso com os meus pais pela educação q me deram , as vezes ate se pode ter mais e melhor mas sinceramente para mim o mais importante é sentir-me á vontade e nao com a corda no pescoço, gasto o q posso mas nao gasto o q nao posso, já fui mais consumista mas axo q vou aprendendo a "gastar" o € com mais inteligencia e como se custuma dizer no poupar é q está o ganho loll

Pipoca disse...

Como eu costumo dizer,cada um sabe de si.Só me interessa mesmo a minha conta bancária e quanto a essa, está muio bem gerida.Aprendi muito com os meus pais e a vida já me pregou algumas rasteiras.Sei perfeitamente qual o meu limite! Não tenho Visa, nem nunca necessitei de o ter e espero sinceramente nunca vir a precisar.

Marco.Galo disse...

É isso Sara. Concordo plenamente com a tua opinião. Eu quis mesmo foi mostrar uma visão diferente sobre o uso dos Visas.. e divaguei um pouco (ou muito) para contar a minha história, lol.

Tb concordo com o R. Acho que a educação em casa é muito importante. Depois a vida vai fazendo o resto, ou para melhor ou para pior.. lol

Também acho que os bancos e as entidades de crédito ajudaram a alimentar a 'sede' de consumismo de muita gente. Aqui há uns anos aprovavam crédito ao desbarato, e agora estão a pagar a factura disso com cada vez mais crédito malparado. Mas de qualquer forma, a origem está sempre nas pessoas e na sua ganância.. que, como já foi dito, muitas querem é luxos, bons carros, mostrar que 'têm' muito, etc...

Pipoca disse...

Sr. Galo, concordo plenamente consido e a isso chama-se VAIDADE.

" A origem está sempre nas pessoas e na sua ganância.. que, como já foi dito, muitas querem é luxos, bons carros, mostrar que 'têm' muito, etc..."

Graças a Deus que sou uma pessoa muito simples e humilde. Contento-me com o conforto ;o)

Marco.Galo disse...

Tem razão Sra. Pipoca, o termo 'vaidade' até se enquadra melhor.
Mas olhe que a definição de conforto pode ser muito subjectiva. Para certas pessoas é sinal de muito dinheirinho gasto! :o\

Mikas disse...

Há que gerir muito bem essa coisa das prestações, eu ia juntando e comprando senão dava em maluca.